10 STARTUPS PARA FICAR DE OLHO EM 2018

10 STARTUPS PARA FICAR DE OLHO EM 2018

É com muito orgulho que passei parte desse ano olhando para trás e revendo os dados da aceleração do Tropos Lab. Desde 2013 foram 32 programas de aceleração e 460 startups já aceleradas.

Portanto, resolvi aproveitar que eu estou analisando esta base para fazer a minha lista das 10 startups que eu mais acredito para o ano que vem:

1 – Aya Tech

O que faz: A Aya Tech desenvolve soluções usando nanotecnologia para áreas como: Agronegócio, Construção, Cosmética e Fragrância, Energia, Higiene, Hospitalar, Hotelaria e Têxtil.

Quais programas do Tropos Lab participou: Startout Brasil (2017)

Porque é uma aposta minha para o ano que vem? Conseguem transformar tecnologias complexas em produtos simples e intuitivos para os seus clientes. Estão estudando a expansão internacional no programa Startout Brasil e tem tudo para levar tecnologia de ponta do Brasil para a Europa.

2 – BirminD

O que faz: A BirminD Automação é uma empresa de Otimização Industrial com soluções para a melhoria de performance, atuando de maneira integrada entre diversos componentes da planta.

Quais programas do Tropos Lab participou: Startup Connected (2017) e Startout Brasil (2017)

Porque é uma aposta minha para o ano que vem? As startups estão invadindo o mundo das indústrias. A Birmind desenvolve soluções com esse foco. Além do crescimento de vendas e propostas para esses clientes, a empresa tem atraído parceiros importantes como o programa SAP Startup Focus e o Startout Brasil que ajudará na internacionalização da solução.

3 – Buddys

O que faz: A Buddys criou uma metodologia de ensino de programação e robótica para crianças.

Quais programas do Tropos Lab participou: Go Minas Belo Horizonte – Sebrae (2016)

Porque é uma aposta minha para o ano que vem? No último ano a Buddys cresceu absurdamente. Hoje estão com 12 unidades em 3 estados diferentes. Escolas como a Buddys, vão seguir o mesmo modelo que escolas de inglês anos atrás e expandir para todas as cidades. Escolas de programação serão as novas escolas de inglês complementando o ensino das escolas e preparando os jovens para as novas profissões.

4 – Cancelou.com

O que faz: A Cancelou.com ajuda passageiros prejudicados por empresas aéreas a obterem seus direitos de indenizações e/ou devoluções de dinheiro.

Quais programas do Tropos Lab participou: Aceleração individual (2017)

Porque é uma aposta minha para o ano que vem? O ano de 2017 foi um ano muito importante para o crescimento da empresa. Ajudamos a Cancelou.com a fazer a transição entre os primeiros passos e a fase de escala e crescimento da empresa. Hoje os sócios conseguem ter uma visão mais estratégica do próprio negócio e assim criar processos para atração e manutenção de clientes.

5 – Monetus

O que faz: A Monetus torna simples o processo de investimento em corretoras de investimento.

Quais programas do Tropos Lab participou: Ginga 3ª edição (2016)

Porque é uma aposta minha para o ano que vem? Fintechs estão em alta. O mercado financeiro movimenta muito dinheiro e ainda é muito carente de tecnologia. Soluções como a Monetus atraem não só investidores mas grandes empresas. Em 2017 a Monetus chegou a ser finalista do Spark Awards, o “Oscar” do mundo de startups. Após passar pela Ginga em 2016, entraram no Seed em 2017 e tem conseguido captar recursos para continuar crescendo (atraíram a Distrito Ventures esse ano também). Por fim, um dos empreendedores, o Daniel, vem do mercado financeiro, então questões de burocracia da CVM que matam metade das startups desse setor não são novidade para ele.

6 – Nucont

O que faz: A Nucont cria dashboards gerenciais para os contadores entregarem inteligência e não planilhas para seus clientes

Quais programas do Tropos Lab participou: FIEMG Lab (2017)

Porque é uma aposta minha para o ano que vem? Entraram no nosso programa em março com o produto ainda em desenvolvimento, começaram a vender e tem mantido uma taxa de crescimento de + 50% ao mês nos últimos 6 meses. Possui três empreendedores complementares o Luis puxa a equipe para bater as metas e define estratégias, a Fernanda é youtuber referência para os contadores e o Guima cuida do desenvolvimento.

7 – Orbita

O que faz: A Orbita desenvolve soluções de visão computacional e inteligência artificial para indústrias, focadas em ganhos de eficiência produtiva e inspeção de qualidade.

Quais programas do Tropos Lab participou: Startup Connected (2017)

Porque é uma aposta minha para o ano que vem: Durante o ano de 2017, atraíram a atenção de investidores como o BMG Uptech, do mercado como na premiação de destaque durante o 100 Open Startups na FINIT e seguiram crescendo ao longo do ano.

8 – Risu

O que faz: A Risu é um sistema de cashback do bem.

Quais programas do Tropos Lab participou: Ginga 1ª edição (2015)

Porque é uma aposta minha para o ano que vem? É difícil encontrar negócios que casem bem o propósito e a lucratividade. A Risü é um negócio que consegue fazer isso muito bem. Depois de passar pela Ginga, passaram na 3ª rodada do Seed em 2016 e acabaram de ser selecionados para o Startup Brasil

9 – Scanner Bovino

O que faz: A Scanner Bovino é uma plataforma para gestão de cabeças de gado através de análise de imagens do curral.

Quais programas do Tropos Lab participou: FIEMG Lab (2017)

Porque é uma aposta minha para o ano que vem? Esse foi um ano inicial para a Scanner Bovino e eles já mostraram que tem potencial. Ganharam vários prêmios como o Ideas for Milk (campeões em 2016 e finalistas em 2017) e o Empreenda em ação (campeões na FINIT). Firmaram parcerias importantes para a operação da empresa (EMBRAPA e EMATER). Além disso, os sócios tem experiência em pesquisa acadêmica e lançamento de empresas de base tecnológica.

10 – SolarView

O que faz: A SolarView é um sistema de gestão de produção de energia solar

Quais programas do Tropos Lab participou: Go Minas Belo Horizonte – Sebrae (2015) e FIEMG Lab (2017)

Porque é uma aposta minha para o ano que vem? Acompanho a histórias deles desde 2015. Na época começaram focando no público dos consumidores finais de placas de energia. Entre 2015 e 2017, migraram para venda para os integradores (empresas que instalam painéis solares) e em 2017 saltaram para outro patamar vendendo para os grandes distribuidores. A SolarView que inclusive mudou de nome (se chamada AWC), é uma dessas empresas que não está nos holofotes mas cresce consistentemente dentro do mercado B2B. Em 2018, não espero menos do que a expansão internacional da empresa.

Gostou do post? Quer saber mais sobre os nossos programas?

Acesse o site da Bizcool

By | 2018-05-08T11:02:09+00:00 janeiro 2nd, 2018|artigos, startups|