COMO DESENHAR METAS EFETIVAS

COMO DESENHAR METAS EFETIVAS

Ao longo dos últimos anos, tenho notado nas startups que acompanhamos que muitas delas possuem grande dificuldade para desenhar metas e principalmente para acompanhá-las ao longo do tempo. Por outro lado, os empreendedores de sucesso sempre são bons em desenhar e principalmente em bater metas.

Por isso, fizemos questão de preparar esse material para ajudar os empreendedores a pensarem nas suas metas e em como traçá-las.

Toda meta começa com uma visão de futuro. O que vai acontecer com a sua empresa nas próximas semanas, meses e anos?

A primeira parte do exercício é simples de explicar mas difícil de se executar com brilhantismo de primeira, portanto faça isso com recorrência na sua empresa até aprender a planejar corretamente.

Vamos imaginar que você tem uma máquina de teletransporte. Vamos usá-la para ver como está a sua empresa.

A ideia é criarmos um roadmap, pensando em em 4 elementos do seu negócio:

  1. Mercado e negócios – onde sua empresa estará em relação ao mercado? Quantos clientes, que tipos de clientes? Em que cidades, estados ou países? Ex: 1ª venda, 15 grandes empresas, 200 advogados, expansão para Argentina, etc.
  2. Produtos e serviços – Quais serão os seus produtos e ou funcionalidades desenvolvidos nesse período? Quais serão os serviços? Ex: terminar MVP, terminar modo do app, sistema de pagamentos ativo, etc.
  3. Tecnologia e competências – Quais são as tecnologias ou competências (pessoas) necessárias para o seu negócio nesse período? Ex: contratar desenvolvedor de chatbots, aumentar para 3 pessoas a equipe de customer sucess, aprender sobre marketing digital, etc.
  4. Recursos – quais recursos vocês precisam para seguir esse plano. Ex: Investimento anjo, 200 produtos no estoque, 10 computadores para a equipe, uma sede própria, R$50.000,00 de capital de giro, etc.

Para cada um desses elementos, é preciso pensar como a empresa está hoje e como ela deve estar no universo de 1, 3, 6, 12 e 60 meses (você pode mudar esses períodos, o importante é ter alguma visão de curto, médio e longo prazo).

Uma vez feito isso, é preciso transformar essa visão em metas. E para isso, precisamos saber separar uma boa meta de uma meta ruim.

Existe um conceito de desenho de metas chamado METAS SMART. A lógica é simples, quanto mais específicas as suas metas, maior a chance de você conseguir batê-las e medi-las.

  • S – Corresponde ao mesmo que specific, ou seja, uma meta deve ser específica naquilo que quer. Se o objetivo é aumentar vendas, o gestor deve ser peculiar e dizer se quer aumentar as vendas em 20, 30 ou 40% em um período de 10 meses, por exemplo. O importante é ser extremamente direto.
  • M – Atribui-se a measurable (mensurável). O que nos mostra que é necessário determinar um indicador que irá contribuir para a organização atingir o objetivo pensado. No caso do aumento nas vendas, o principal indicador seria o valor do faturamento durante os 10 meses em cima dos produtos e serviços.
  • A – Vem de (achievable), que quer dizer atingível ou aquilo que é alcançável. Desejar obter resultados incríveis é o que todos querem, mas o gestor deve ter em mente que as metas devem estar em uma realidade possível. Vale lembrar que uma meta em vendas, por exemplo, leva tempo e dedicação. Alcançar uma evolução de 100% em cinco meses pode ser complicado para as equipes e também para a empresa.
  • R – Corresponde a (relevant), o que permite entender que as metas precisam ser relevantes para a organização. Não é interessante criar metas que não façam sentido e que não vá gerar evolução dentro da empresa.
  • T – Dentro do método SMART, o T vem de (time). Pensando nisso, fica a ideia de que para toda meta é preciso determinar um tempo para que ela se cumpra. Estabelecer uma meta sem um prazo não faz sentido, além de que a mesma não será levada a serio da forma que deveria ser levada. Por esse motivo, sempre que definir uma meta, estabeleça um prazo.

Em cima disso o que são bons exemplos de metas SMART:

  1. Chegar em 15 clientes em outubro.
  2. Reduzir em 10% o valor de custo do produto até março
  3. Dobrar as vendas mês que vem

E são maus exemplos de metas SMART:

  1. Aumentar as vendas
  2. Trazer mais equipe para o projeto
  3. Conseguir investimento

Entendido isso, algumas dicas finais para criar as suas metas:

  1. Escolha um universo de tempo (sugiro começar por algo como 3 ou 6 meses, assim você tem tempo suficiente para ter metas suficientes para serem perseguidas e não está em um universo tão distante de tempo).
  2. Dentro desse universo de tempo escolha pelo menos 3 metas para cada um dos elementos do seu negócio (Mercado, Produto, Competências e Recursos).
  3. Escolha a forma de medição (ex: se a meta é acessos ao site, a forma de medição é com o google analitycs, se a meta é terminar o produto, a forma de medição é conversando com o desenvolvedor, se a meta é aumento nas vendas a forma de medição é o software de gestão de vendas, etc.)
  4. Crie um ritual de medição (ex: a medição será feita toda sexta-feira ou a cada 15 das ou todo dia 01, etc.)
  5. Escolha alguém para você compartilhar / enviar essas informações, assim você cria uma “obrigação” de enviar esse material na data correta e ela vira prioridade.

Lembre-se, se você não cria as suas metas o mercado cria para você.

Gostou do post? Quer saber mais sobre os nossos programas?

Acesse http://bizcool.com.br/

By | 2018-05-08T11:02:08+00:00 abril 23rd, 2018|artigos, empreendedorismo|