O PODER DA DIVERSIDADE NOS NEGÓCIOS

O PODER DA DIVERSIDADE NOS NEGÓCIOS

Quer montar um time de sucesso? Chame diferentes pessoas com um propósito comum.

Hoje o mundo em constante mudanças demanda das pessoas cada vez mais rapidez e criatividade na hora de pensar novos modelos, novos produtos e novos negócios. Para isso é necessário pessoas extremamente criativas com essa habilidade bem desenvolvida. Só um problema: essas pessoas nem sempre estão disponíveis e muitas vezes são difíceis de se achar.

Como então trazer criatividade e inovação para o meu negócio?

Montando um time com pessoas que pensam diferente.

A medida que crescemos e somos formados por nossas família, nossas escolas, nossas universidades, vamos moldando a nossa maneira de pensar.

Um médico tende a ter uma visão de problemas parecida com outros médicos, um engenheiro com outros engenheiros, um homem de classe A com outros homens de classe A, uma mulher de 20 anos com outras mulheres de 20 anos e assim por diante.

O mundo de inovação, desde os primórdios das discussões sobre design thinking, já sabe que é necessário criar equipes multidisciplinares. Ou seja pessoas com formações diferentes. Acredita-se que uma equipe precisa ter no mínimo 3 funções diferentes:

Produto / Tecnologia, Marketing / Vendas e Gestão.

Isso nos remete muitas vezes a formações acadêmicas distintas (um desenvolvedor de software, um administrador e um designer por exemplo).

Mas essa não é a única diversidade benéfica ao negócio. Veja como os negócios podem se beneficiar de outros tipos de diversidade:

  • Diversidade etária

O desenvolvimento tecnológico acentuou várias coisas na nossa sociedade, uma delas foi diferença de comportamento geracional.

Se por um lado as gerações mais novas se vêem empoderadas com o conhecimento tecnológico (que é sempre mais doido e lento para as gerações anteriores), as gerações mais antigas olham para os mais novos e os vêem cometendo os mesmo erros com a arrogância de quem não aprendeu a escutar.

Um time com equipe mesclando profissionais mais experientes com novas cabeças, consegue manter o foco no futuro, nas novas tecnologias e na nova forma das pessoas se comportarem, sem precisar aprender o caminho do sucesso do zero.

  • Diversidade de gênero

Sou um grande defensor da igualdade de direitos, mas isso não quer dizer que homens e mulheres, heterossexuais e homossexuais, pensem e ajam da mesma maneira. Existem padrões claros de formas de pensar e agir observados nesses diferentes grupos. Como biólogo, estou acostumado a perceber que evolutivamente em muitas espécies machos e fêmeas tem papéis distintos nas sociedades animais e isso causa modificações físicas (porte, exuberância, tamanho, etc) e comportamentais (agressividade, coletividade, dependência, etc). Por mais que adoremos pensar que o ser humano está imune a nossa natureza animal, é claro que 90% do nosso comportamento é instinto do bocejo que repetimos quando vemos alguém bocejando (necessidade de aceitação do grupo comum nos primatas) à nossa linguagem corporal (que diz mais para o nosso interlocutor do que as palavras que proferimos).

Uma equipe com diversidade de gênero tem portanto uma gama maior de formas de interagir com o cliente, cuidar da equipe interna, lidar com crises, e todos os outros aspectos do negócio.

  • Diversidade social

Vivemos hoje em bolhas. Nossa tendência é ficar próximo de amigos, família e colegas de trabalho que em sua maioria estão na mesma classe social. Embora cada vez mais as pessoas comecem a realizar atividades que fogem dos padrões das suas redes sociais, ainda temos o nosso comportamento condicionado a fatores como faixa de renda.

Equipes com interação de pessoas de classes sociais diferentes tendem a ter mais empatia com grupos diversos. Existe hoje uma diferença clara tanto de posicionamento sobre questões sociais (por exemplo a posição política de cada classe frente a nossa eleição presidencial) quanto diferença sobre questões do negócio (por exemplo quais canais de venda são efetivos para cada classe). Quando existe essa diversidade dentro do time, é mais fácil entender o pensamento de diferentes segmentos de clientes.

Enfim, o foco na construção das equipes é sempre encontrar as melhores pessoas, mas procurar em locais fora da sua bolha sempre ajuda.


Gostou do post? Quer saber mais sobre os nossos programas?

Acesse: www.bizcool.com.br

By | 2018-10-17T09:52:56+00:00 outubro 17th, 2018|empreendedorismo, inovação, startups|