OS 3 PROBLEMAS QUE SEMPRE ACOMPANHAM A INOVAÇÃO

OS 3 PROBLEMAS QUE SEMPRE ACOMPANHAM A INOVAÇÃO

11 em cada 10 CEOs de empresas consideram inovação algo fundamental para o desenvolvimento dos seus negócios. Mas isso não quer dizer que eles consigam levar para frente a inovação como algo que faz parte do dia a dia da sua empresa.

Essa tarefa de levar a inovação para o dia a dia das empresas é sempre acompanhada de três problemas:

1 – IMPORTANTE MAS NÃO URGENTE

Toda empresa diz que inovação é algo importantíssimo. Alguns inclusive colocam inovação como algo da missão, valores e/ou metas da empresa. Mas quantas colocam para os seus colaboradores metas de trazerem novas ideias? De melhorarem processos? Quantas premiam e incentivam isso no dia a dia?

Geralmente o urgente, o que está nas metas são as vendas, a produção, etc.

As empresas sempre resolvem o importante e urgente, e muitas vezes o urgente que não é importante. O grupo de atividades importantes, mas não urgentes, sempre fica de lado e só é feito se “dá tempo”.

Hoje a inovação está nesse quadrante para a maior parte das empresas, é preciso mudar ela para o quadrante de importante E urgente.

2- EFEITO RAINHA VERMELHA

O segundo livro da Alice (Alice no País dos Espelhos) possui uma cena em que a Alice e a Rainha Vermelha estão em um grande tabuleiro de xadrez. Um vento contrário empurra a Alice para trás a medida que ela tenta atravessar o tabuleiro. No meio dessa tentativa ela diz:

-Rainha Vermelha, meus pés se movem mas eu não saio do lugar.

A Rainha Vermelha então responde:

-Alice, se você quiser sair do lugar, terá que mover os seus pés duas vezes mais rápido!

 

Isso tem a ver com o que chamamos de velocidade de inovação. Não basta inovar, é necessário inovar mais rápido do que os seus concorrentes.

Para entender isso, vou te pedir para lembrar das décadas de 80-90. Quando pensávamos em equipamentos eletrônicos de qualidade que nome vinha a mente?

Estou falando dos inventores do Walkman.

A Sony.

Sinônimo de qualidade e inovação, lançaram ao longo das últimas décadas vários produtos em áreas completamente diferentes. De Playstation a Sony Ericsson. De televisões a equipamentos de som diversos.

Nessa mesma época, surgia uma empresa com nome estranho, vinda do sudeste asiático, uma tal de Samsung, já ouviu falar?

Hoje a diferença da velocidade de inovação das duas empresas é muito discrepante.

O volume de produtos e participação do mercado cada vez mais tende para o lado da Samsung. É claro que a Sony continuou inovando desde a década de 80, ou vocês acham que todos os engenheiros da empresa foram demitidos? Mas a velocidade de inovação foi menor que a concorrente asiática, o que permitiu que a Sony fosse alcançada.

3- ADVOGADO DO DIABO

O terceiro e principal problema é um personagem comum em todas as empresas. Na verdade todos nós já fomos, somos e seremos advogados do diabo em algum momento da vida.

Já tentou dar uma ideia e escutou algo do tipo:

“Ihh. Essas coisas não funcionam aqui não.”

“Já tentaram fazer isso aqui antes e não deu certo”

O advogado do diabo é o personagem que mata toda e qualquer ideia nascente, com argumentos técnicos e muito específicos para o momento que a ideia nasce.

Imagine que a ideia é como um bebê. Ela acabou de nascer. O Advogado do Diabo é aquele que vira para o bebê (ideia) e diz que ele só será bem sucedido se conseguir responder a uma série de perguntas dignas de vestibular. Como o bebê ainda nem fala, ele não passa nesse teste e não sobrevive.

A verdade é que todas as ideias nascem ruins (fracas). É muito fácil criticar uma ideia que acabou de nascer. Se você usa perguntas como qual o payback? ou O que acontecerá quando você chegar na fase X? ou Se o concorrente Y lançar o produto Z como o seu produto vai combatê-lo? É muito fácil matar ou inviabilizar a ideia nascente.

As ideias nascem como fragmentos de boas ideias. Nessa fase inicial, um fragmento de ideia meu, com um fragmento de ideia seu, com mais outros tantos fragmentos de ideia, vão formando um conceito sólido e ai sim, chega o momento de submeter a ideia (agora já mais forte no formato de conceito) às perguntas do Advogado do Diabo.

 

Portanto, seja você de uma grande ou pequena empresa, de uma empresa digital ou offline, de um mercado competitivo ou dentro de um oceano azul, lembre sempre desses três problemas para o seu negócio conseguir realmente inovar.

Gostou do post? Quer saber mais sobre os nossos programas?

Acesse http://bizcool.com.br/

By | 2018-05-08T11:02:08+00:00 Fevereiro 20th, 2018|artigos, empreendedorismo|