TRABALHO EM UMA GRANDE EMPRESA, EMPREENDEDORISMO NÃO É PRA MIM

TRABALHO EM UMA GRANDE EMPRESA, EMPREENDEDORISMO NÃO É PRA MIM

Como empreendedorismo é um tema que está “quente”, quem não se identifica com a ideia de abrir uma empresa tende a escapar da discussão dizendo que, não tem o perfil empreendedor e não tem interesse em ter seu próprio negócio. Explorando as mudanças do mundo vemos que as habilidades empreendedoras são cada vez mais necessárias em diferentes contextos. Vamos discutir porque, mas não vamos concluir que todo mundo tem que ser empreendedor, mas que você precisa pensar em suas habilidades empreendedoras.

O que está acontecendo com as empresas na era digital

Se você trabalha em uma grande empresa, sabe que nos últimos anos palavras como competitividade, redução de custo, inovação são parte do dia-a-dia, da pressão, da estratégia.

O The Global Startup Report 2015 tem uma sessão dedicada a entender as transformações pelas quais as grandes empresas estão passando. O estudo menciona, por exemplo, que a produtividade no trabalho mais que dobrou desde 1965, muito impulsionada pelos avanços tecnológicos. Em indústrias como telecomunicações e tecnologia da informação por exemplo, a produtividade chegou a aumentar 800%. Por outro lado, no mesmo período, o retorno sobre investimento da indústria declinou 75%. Então, a produtividade está aumentando e a performance geral das empresas está caindo? Isso mesmo. E não é isso mesmo que você observa na sua empresa? A pressão sobre o time aumentando, buscando formas mais eficientes de fazer as coisas, acelerando a rotina, os processos, mas nunca é o suficiente?

Parte da esperança também vai para a inovação. A busca por novos produtos, processos, insumos, etc tem sido cada vez maior. Os departamentos de inovação cresceram, os centros de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação vão se estabelecendo e muitas indústrias conseguem melhorar sua performance. Mas, mesmo nos centros de pesquisa, a pressão por fazer mais e mais rápido tem sido crescente, e a sensação é de que as alternativas estão diminuindo.

O cenário, para as empresas que enfrentam os desafios da era digital é de muita  incerteza.

O que faz as empresas perderem a competitividade

Voltando ao The Global Startup Report 2015, o estudo mostra alguns fatores que geram essa situação:

1- Intensidade da competitividade – dobrou nos últimos 40 anos, graças a políticas cada vez mais liberais e queda de barreiras de entrada.

2- Transparência de informação –  a imagem do produto e da marca não está mais nas mão das empresas, ela também está nas informações compartilhadas e reviews de produtos, sites de busca, etc.

3 – Queda no consumo – seja pelo aumento da consciência, mudança no estilo ou algumas crises financeiras, alternativas ao consumo como o compartilhamento já começam a ter grande impacto nos hábitos de compra ao redor do mundo.

O ambiente está cada vez mais incerto, dinâmico, rápido, transparente. Tudo isso exige novas formas de atuar, de se organizar, de tomar decisões. Todas essas mudanças sufocam a cultura das organizações e o perfil executivo.

Em escala mundial, as organizações que estão conseguindo se adaptar mais rápido e fazer uma boa limonada de toda essa incerteza e mudança, são as startups. Com novas formas de organizar o trabalho, interagir com o cliente, novos valores e estilo de vida. E claro, com muito empreendedorismo.

De “intraempreendedorismo” a “habilidades empreendedoras”

Não é novidade que empreendedorismo não se trata de criar uma empresa. Endeavor, Sebrae, Bizcool e tantos outros concordam com a essência de que empreendedorismo está mais relacionado a realizações e mudanças que geram um impacto positivo, podendo ser empresas, projetos ou movimentos.

As grandes empresas estão precisando de projetos e movimentos que geram mudanças em suas culturas e seus negócios. Catalisadores dessas mudanças possuem muitas habilidades empreendedoras.

Acreditamos que as pessoas precisam se preocupar menos com sua própria classificação — ser ou não ser empreendedor — e focar no desenvolvimento das habilidades empreendedoras que podem ajudar a alavancar suas carreiras e a transformação das suas empresas.

E aí, mais uma vez chegamos a conclusão tendenciosa: então todos precisamos ser empreendedores?

Acreditamos que não é por aí. Vamos pegar o exemplo das habilidades sociais que são tão importantes para o desenvolvimento de uma vida feliz e de uma carreira saudável. Não nos preocupamos com um “diagnóstico”, mas em como desenvolver as habilidades necessárias para nossa vida e nossa profissão — empatia, assertividade, são alguns exemplos de habilidades sociais importantes em muitos contextos, inclusive o profissional.

Vemos as habilidades empreendedoras da mesma maneira. Elas podem variar em sua forma de acordo com o ambiente e projeto a ser realizado. O que é necessário para tirar um novo medicamento da bancada de um laboratório, ou um novo projeto de inclusão social do papel é bem diferente. Realizar as duas coisas, levando a inovação ao mundo é uma ação empreendedora.

Por isso, é mais importante que você pense: “quais habilidades empreendedoras preciso desenvolver para realizar o meu trabalho e o meu potencial?”.

Com essas habilidades desenvolvidas na medida dos desafios, é mais provável que a sua empresa consiga se renovar, reorganizar e usar todo seu poder e ativos para ser protagonista das mudanças que o mundo precisa. Lembrando, empresas são grupos de pessoas, então, frente ao cenário de mudanças no mundo, acreditamos que empreendedorismo tem a ver com você, porque você trabalha em uma grande empresa e ela transforma e é transformada pelas mudanças do mundo.

By | 2018-02-26T12:08:02+00:00 outubro 24th, 2017|artigos, empreendedorismo|