Você sabe o que é a quarta parede?

<aqui eu uso a tática de usar uma pergunta retórica que eu mesmo vou responder depois, ta vendo?>

No mundo do arte existe um conceito interessante chamado quarta parede. Essa quarta parede é a divisão imaginária que existe entre o palco e platéia. É como se existisse naquele local uma parede fictícia separando os artistas do público.

<viu, falei que ia responder>

Mas não uma parede comum, uma parede transparente que permite que o público veja através dela.

Algumas peças, filmes ou atores escolhem em alguns momentos “quebrar” essa parede e se dirigir diretamente ao público.

<igual eu estou fazendo com você nessas frases “soltas” no texto>

Um exemplo famoso do mundo pop é o tipo de linguagem adotada pelo Deadpool em seus filmes. Por vezes ele se “esquece” que é um filme e se dirige diretamente a nós.

<me senti quase o deadpool aqui falando com você>

Bem, mas o que isso tem a ver com o mundo das empresas?

De forma análoga, as empresas criaram historicamente uma parede que as separa dos consumidores, uma parede que faz com que elas acreditem que devem sozinhas escolher o que o que o cliente quer ver (consumir no caso).

Vivemos em uma época onde o cliente quer participar e não só ser passivo nesse processo, por isso muitas empresas estão cada vez mais “quebrando” essa quarta parede. e assim não só falando diretamente com o cliente, mas também ouvindo ele.

Ao longo dos anos os clientes passaram por várias fases:

  • Consumidor – Quando as empresas se limitavam a enxergar os clientes como o elo final da cadeia.
  • Comprador – Quando as empresas começaram a entender que os clientes decidem a sua compra, e por isso precisam pensar em agradá-los
  • Usuário – Quando as empresas começaram a entender que os clientes usam o produto e por isso mais do que se preocupar apenas com as vendas, começaram a seu preocupar com a experiência de uso do cliente
  • Adaptador – Quando as empresas começaram a monitorar como os clientes usam os seus produtos e assim entenderam que muitas vezes eles trazem novos usos
  • Contribuidor – Quando as empresas começaram a abrir canais para escutar sugestões, críticas e dúvidas dos seus clientes
  • Co-desenvolvedor – Quando as empresas começaram a trazer os clientes para o processo de desenvolvimento, tornando-os parte da construção do produto e do modelo

Nessa última fase, é imprescindível que a quarta parede esteja aberta.

<E ai? A sua empresa já quebrou a quarta parede?>


Gostou do post? Quer saber mais sobre os nossos programas?

Acesse https://bizcool.com.br/