Em 2000, Marc Randolph e Reed Hastings, fundadores da Netflix, se reuniram com John Antioco, CEO da Blockbuster. Os executivos discutiram uma possível compra da Netflix pela, na época, líder mundial no ramo de aluguel de filmes. O valor oferecido foi de US$ 50 milhões. O acordo foi recusado por Antioco.

O resto da história não preciso contar para vocês. Hoje a Blockbuster tem uma única loja enquanto a Netflix é a maior plataforma de streaming do mundo com um valor de mercado, em março de 2020, de US$158 bilhões (mais valiosa que a Disney por exemplo).

Então é lógico pensarmos que o futuro é da Netflix, certo?

Não!

A Netflix é o negócio, o modelo, o produto de hoje. Não do futuro. Esse produto vai ser engolido pelo próximo. A dúvida é, qual esse próximo produto?

Até pouco tempo atrás, as empresas se preocupavam em criar produtos que matariam os seus próprios produtos. Por décadas essa tem sido a motivação do setor automotivo, por exemplo. O próximo modelo de carro deixa o modelo anterior obsoleto.

Mas isso não é mais suficiente.

O que está acontecendo é que novos modelos de negócio estão matando os modelos já consolidados. Não é um novo carro que está matando o antigo, é um sistema de compartilhamento de carro liderado por empresas como Uber, Lyft e 99.

O ponto é que as empresas muitas vezes não vêem esse movimento acontecendo até que seja tarde demais. Um novo modelo só entra realmente no radar das empresas já estabelecidas quando ele já ganhou tração, já está acelerando, já captou dinheiro e clientes. Aí, quando as empresas do mercado vêem esse movimento, tentam copiá-lo, segui-lo, como transatlânticos fazendo uma curva para seguir uma lancha.

Existem duas grandes maneiras de se antecipar a esse movimento:

  • A primeira é criando você mesmo os produtos, modelos e/ou tecnologias que vão matar o seu mercado (e criar outro).
  • A segunda é ficando próximo de outras empresas / startups que estão criando esses produtos e se tornar sócio dessas empresas no início, antes que elas não precisem mais de você.

Assim, você precisa urgentemente descobrir quais são os modelos que vão matar o seu mercado e apostar em um deles para que você desenvolva. Porque se você não criar o produto que vai matar o seu negócio…..alguém vai.